Banner topo

10 DECLARAÇÕES CHOCANTES SOBRE OVNIS FEITAS POR CIENTISTAS E FUNCIONÁRIOS DO GOVERNO DOS EUA


Livre tradução do artigo publicado pelo Mysterious Universe escrito por Robbie Graham

O fenômeno OVNI capturou o imaginário popular nas últimas sete décadas. Porém, durante a maior parte do tempo, o assunto foi tratado com escárnio por boa parte da mídia tradicional - como um escape divertido reservado para o final do noticiário noturno, ressaltado pela música tema de Arquivo X e fazendo obrigatoriamente referências a “homenzinhos verdes”.

A atitude desdenhosa da mídia em relação aos OVNIs contrasta fortemente com os pontos de vista de numerosos indivíduos altamente respeitados nas esferas da política e da ciência que, ao longo dos anos, declararam publicamente ou confidencialmente sua firme crença de que o enigma OVNI não é apenas digno de estudo sério como também estar ligado de fato a inteligências não-humanas.

A seguir, veja 10 das mais chocantes declarações sobre OVNIs dadas por por cientistas e funcionários do governo.

10. General Nathan Twining


O General Nathan Twining serviu como Chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) entre 1953 e 1957, e como Presidente do Estado-Maior Conjunto entre 1957 e 1960. Um oficial altamente distinto, Twining subiu na hierarquia de um humilde soldado para um general de quatro estrelas, respondendo diretamente ao Secretário de Defesa e ao próprio Presidente dos EUA.

Em uma carta secreta enviada à Sede da Força Aérea, datada de 23 de setembro de 1947, o General Twining, então chefe do Air Materiel Command (Comando de Logística da USAF), declarou que discos voadores eram "reais e não fruto de visões ou ficção”, que eles tinham “uma superfície refletora metálica e leve", "que eles eram de um formato circular ou elíptico, achatados em baixo e abobodados em cima", e que às vezes eram vistos em "voos bem realizados em formação de 3 a 9 objetos".

Os comentários inequívocos de Twining nessa carta secreta sobre a realidade física dos discos voadores estava em contradição direta com o parecer público emitido pela USAF na época, onde afirmava que os relatos de OVNIs eram produto de histeria em massa ou de identificações equivocadas de fenômenos naturais.


09. Wilbert B. Smith


Entre 1947 e 1969, a Força Aérea dos EUA operou projetos de investigação sobre OVNIs sob três códigos diferentes: Sign, Grudge e Blue Book. O que poucos sabem é que os vizinhos dos EUA também estavam interessados em discos voadores durante os anos da Guerra Fria. Entre 1950 e 1954, o governo canadense operou oficialmente seu próprio projeto de estudo de OVNIs - Projeto Magnet - com o objetivo de coletar dados sobre o fenômeno e aplicá-los no desenvolvimento da engenharia militar e da tecnologia. O projeto foi liderado por Wilbert Brockhouse Smith, engenheiro de rádio sênior da Transport Canada’s Broadcast and Measurements Section.

Em um documento do governo canadense, anteriormente secreto, datado de 21 de novembro de 1950, baseado em informações obtidas por meio da Embaixada do Canadá em Washington DC (EUA), Smith fez a seguinte observação sobre os OVNIs: "O assunto é o mais altamente classificado no governo dos Estados Unidos. Maior até mesmo do que a bomba de hidrogênio".


08. Hermann Oberth



Uma das perspectivas mais ousadas sobre os OVNIs feitas durante a década de 1950 veio do professor Hermann Oberth. Um pioneiro dos foguetes e da astronáutica, e mentor de Werhner von Braun, Oberth foi sem dúvida um dos engenheiros mais influentes do século XX. Em um artigo para o American Weekly de 24 de outubro de 1954, Oberth escreveu o seguinte:

Minha tese é a de que os discos voadores são reais, e que são naves espaciais de outro sistema solar. Eu acho que eles possivelmente são tripulados por observadores inteligentes, que por sua vez são membros de uma raça que pode estar investigando nosso planeta Terra há séculos. Eu acho que eles foram enviados para conduzir investigações sistemáticas de amplo espectro, primeiro dos homens, animais e vegetação, e mais recentemente de centros atômicos, armamentos e centros de produção de armamentos. Eles obviamente não vieram como invasores, mas acredito que sua missão atual pode ser de investigação científica.


 07. Roscoe Hillenkoetter


Roscoe H. Hillenkoetter tornou-se o primeiro diretor da CIA nos EUA em 1947 e, antes disso, foi chefe do Grupo Central de Inteligência (CIG) (nota deste blog: o CIG foi órgão de inteligência do Exercito Norte-Americano durante a II Guerra e que após o fim da mesma, foi reconfigurado parcialmente como a CIA). Ele se feriu durante o ataque a Pearl Harbor e comandou o USS Missouri em 1946. Ele se aposentou do serviço militar no posto de vice-almirante. Em 1960, em uma carta ao Congresso, Hillenkoetter escreveu as famosas palavras:

Nos bastidores, altos oficiais da Força Aérea estão absolutamente preocupados com os OVNIs. Mas através do sigilo oficial e do ridículo, muitos cidadãos são levados a acreditar que os objetos voadores desconhecidos são uma besteira. Para esconder os fatos, a Força Aérea silenciou seu pessoal.

Curiosamente, durante seus anos de aposentadoria, Hillenkoetter juntou-se à diretoria do Comitê Nacional de Investigações sobre Fenômenos Aéreos (NICAP) - o principal grupo civil de investigações sobre OVNIs da América do Norte. Em seu disruptivo livro, Clear Intent, os autores Lawrence Fawcett e Barry Greenwood descrevem o envolvimento de alto nível que Hillenkoetter teve junto ao NICAP como sendo um passo fundamental na bem-sucedida infiltração e desmantelamento do NICAP pela CIA. Outros homens ligados à CIA se infiltraram no NICAP nos anos que se seguiriam, e eles passaram a controlar a organização por dentro durante os anos 1960 e 1970, enquanto seu fundador, Donald Keyhoe, pressionava o governo cada vez mais pela revelação sobre a realidade dos OVNIs. Eventualmente, Keyhoe foi demitido como diretor do NICAP por Joseph Bryan, ex-chefe da equipe de guerra psicológica da CIA. Em 1980, o NICAP acabaria por ser extinto.


06. Barry Goldwater


Barry Goldwater foi mais conhecido como senador pelo estado do Arizona (EUA) durante cinco mandatos, e como candidato do Partido Republicano para a presidência dos Estados Unidos no pleito de 1964. Goldwater foi uma força significativa na política americana ao longo de quatro décadas. Em uma carta oficial do Senado dos Estados Unidos datada de 28 de março de 1975, em resposta a um inquérito sobre seu público e declarado interesse em OVNIs, Goldwater escreveu:

Cerca de dez ou doze anos atrás, empreendi esforços a fim de descobrir o que havia no prédio da Base da Força Aérea de Wright Patterson, onde as informações sobre OVNIs foram armazenadas pela Força Aérea, e foi-me compreensivelmente negado esse pedido. Ainda é um assunto classificado acima de Top Secret.

Em outra carta do Senado, datada de 19 de outubro de 1981, Goldwater declarou ainda:

Tive uma longa série de pedidos negados, chefia após chefia, então eu desisti ... essa coisa (a questão dos OVNIs) ficou tão altamente classificada... é simplesmente impossível obter qualquer informação sobre o assunto.


05. Victor Marchetti


Victor Marchetti trabalhou para a CIA de 1955 a 1969. No final de sua carreira na CIA, Marchetti trabalhou por vários meses como assistente especial do vice-diretor da agência, Rufus Taylor. Marchetti também estava envolvido na criação da estação terrestre de satélite Top Secret Pine Gap, perto de Alice Springs, na Austrália Central - há muito considerada por teóricos de conspiração de OVNIs como a Área 51 australiana.

Em um artigo para a revista Second Look, em maio de 1979, Marchetti levantou as sobrancelhas de diversas pessoas com a seguinte declaração:

Tenho conhecimento de que a CIA e o governo dos EUA estão preocupados com o fenômeno OVNI há muitos anos, e que suas tentativas, tanto no passado quanto no presente em ignorar o significado do fenômeno e de aparente não manifestar interesse oficial pelo assunto carregam consigo todos os sinais clássicos de um encobrimento dos serviços de inteligência ... Minha teoria é que, de fato, fomos contatados - talvez até mesmo visitados - por seres extraterrestres, e que o governo dos EUA, em conluio com outras potências nacionais da Terra, está determinado a manter esta informação oculta do público em geral.


04. Gordon Cooper

O grande e falecido astronauta Coronel Gordon Cooper foi uma lenda devido a seu papel no primeiro programa de voo espacial humano, o Projeto Mercury, e suas façanhas foram narradas no clássico filme de 1983, The Right Stuff (Os Eleitos) (que co-estrelou o ator Dennis Quaid como Cooper). Cooper viu diversos OVNIs durante sua carreira militar, e manteve até sua morte em 2004 a opinião de que o governo dos Estados Unidos estava há muito engajado em um encobrimento em grande escala sobre os OVNIs.

Em uma carta ao Embaixador Griffith, Missão de Granada às Nações Unidas em Nova York, datada de 9 de setembro de 1978, Cooper escreveu:

Por muitos anos eu vivi com um segredo, um segredo imposto a todos os especialistas e astronautas. Eu agora posso revelar que todos os dias, nos EUA, nossos instrumentos de radar capturam objetos de forma e composição desconhecidos a nós ... Eu sinto que precisamos ter um programa coordenado de nível superior para coletar e analisar cientificamente dados de todo o mundo a respeito de qualquer tipo de encontro, para determinarmos a melhor forma de interagirmos com esses visitantes de uma maneira amigável.


03. Lord Hill Norton


Um dos oficiais militares de mais alto escalão (reformado) que já se manifestou sobre a questão dos OVNIs foi o Almirante-da-Frota de 5 estrelas, o lorde Hill Norton, que serviu como Chefe do Departamento de Defesa da Grã-Bretanha e como Presidente do Conselho Militar da OTAN. Lord Hill Norton manteve um interesse de longa data em OVNIs durante seus últimos anos. Em seu prefácio para o best-seller de Timothy Good expondo os segredos governamentais sobre OVNIs, Beyond Top Secret (1996), Lord Hill Norton escreveu:

A evidência [sobre OVNIs] é agora tão consistente e tão esmagadora que nenhuma pessoa razoavelmente inteligente pode negar que algo inexplicado está acontecendo em nossa atmosfera ... há um encobrimento: nos Estados Unidos em grande escala, na Grã-Bretanha, e em vários outros países.


02. Fife Symington

Um dos mais famosos avistamentos em massa de OVNIs dos últimos 30 anos foram as Luzes de Phoenix, no qual milhares de pessoas relataram ter visto (e filmaram e fotografaram) uma série de luzes estacionárias sobre a capital do Arizona (EUA) na noite de 13 de março de 1997. Uma aeronave de imensas proporções no formato triangular ou em delta também foi amplamente relatada viajando baixo e lentamente sobre o Arizona na mesma noite. A força aérea dos EUA foi rápida em atribuir os avistamentos a identificações errôneas de sinalizadores militares (flares), e o então governador do Arizona, Fife Symington, juntou-se ao movimento de ridicularização do assunto quando encenou uma coletiva de imprensa cômica em resposta às preocupações de seus eleitores, indo tão longe que chegou a desfilar na frente das câmeras com um homem usando uma ridícula fantasia emborrachada de alienígena.


O que não se sabia na época é que o próprio governador tinha testemunhado as Luzes de Phoenix. Dez anos depois, falando no National Press Club em Washington D.C. em novembro de 2007, Fife Symington declarou, em frente à mídia mundial:

Em 1997, durante meu segundo mandato como governador do Arizona, vi algo que desafiava a lógica e a minha realidade. Eu testemunhei uma enorme nave em forma de delta silenciosamente navegando sobre Squaw Peak, uma cadeia de montanhas em Phoenix, Arizona. Foi realmente de tirar o fôlego. Fiquei absolutamente atordoado... Como piloto e ex-oficial da Força Aérea, posso dizer com certeza que essa nave não se parecia com nenhum objeto feito pelo homem que eu já vi. O incidente foi testemunhado por centenas - se não milhares - de pessoas no Arizona, e meu escritório foi inundado por telefonemas de cidadãos do Arizona muito preocupados. Há muitas autoridades de alto escalão, militares, da aviação civil e do governo, que compartilham das minhas preocupações... Queremos que o governo pare de publicar histórias que perpetuem o mito de que todos os OVNIs podem ser explicados em termos convencionais. As investigações precisam ser reabertas, os documentos precisam ser revelados e a ideia de um diálogo aberto não pode mais ser evitada. Incidentes como esses não estão desaparecendo. Quando se trata de eventos dessa natureza, que ainda estão completamente sem solução, nós merecemos mais abertura no governo, especialmente na nossa.


 01. Luis Elizondo


Em dezembro de 2017, o New York Times publicou uma história dramática: o governo norte-americano estava operando um programa secreto de estudos de OVNIs entre 2008 e 2012 chamado de Advanced Aviation Threat Identification Program (AATIP) (ou Programa Avançado de Identificação de Ameaças na Aviação, em português). As conclusões do projeto do Pentágono, de US $ 22 milhões, de acordo com o NY Times, operava silenciosamente até que certo dia "aeronaves" de origem aparentemente sobrenatural passaram a penetrar o espaço aéreo dos Estados Unidos.

O homem que liderou o projeto sobre OVNIs no Pentágono, Luis Elizondo, disse aos jornalistas que essas "aeronaves" ou "UAPs (Unidentified Aerial Phenomena)" (ou Fenômenos Aéreos Não Identificados em português)" estavam realizando manobras impossíveis segundo nossos conhecimentos atuais sobre as leias da física. Ainda mais chocante que isso, Elizondo revelou que o Pentágono tem recuperado ligas metálicas bizarras de supostos acidentes com OVNIs, e que atualmente eles estão sendo estudados e armazenados pelo bilionário Robert Bigelow.



Discutindo sobre o projeto de estudos sobre OVNIs do Pentágono ao vivo em dezembro de 2017 (vídeo acima), Elizondo disse à CNN:

Nós identificamos alguns tipos e aeronaves anômalas muito interessantes... vamos chamá-las de "aeronaves". Coisas que não têm nenhuma superfície de voo óbvia, nenhuma forma óbvia de propulsão e [que têm] manobrabilidade extrema além das forças G a que um ser humano ou algo biológico poderia suportar de maneira saudável; velocidades hipersônicas; baixa observabilidade [e] elevação positiva, aparentemente desafiando as leis da aerodinâmica.

Quando encorajado pela âncora do canal a especular sobre a natureza e a origem dessas aeronaves misteriosas, Elizondo respondeu: "Nós deliberadamente nos mantivemos longe da toca do coelho de 'quem está atrás do volante e quais são suas intenções'… o que nós queríamos fazer era deixar os dados falarem por si mesmos".

A âncora respondeu, cutucando Elizondo novamente: "Deixe-me perguntar a você: enquanto dirigia o programa de investigação, você acredita que vida de algum outro lugar veio aqui, nos visitou e observou?". Elizondo então respondeu de forma impressionante: "Há evidências muito fortes que indicam que podemos não estar sozinhos".

Postar um comentário

0 Comentários